25.2.09

Melanfolia

A cidade está em silêncio. As serpentinas penduradas nos fios e os confetes pisoteados pelo chão anunciam o fim de mais um carnaval. Já se fez claro, os foliões se põe a dormir e os saudosos levantam pro trabalho. Todos mandaram seu recado no desfile de plumas e bundas na “passarela do samba” que, agora, braços fortes se encarregam de desmontá-la.
Tudo religiosamente igual.

Algumas coisas perderam a graça por aqui. Quando se é criança tudo é folia, afinal é carnaval. Arquibancada era pique-esconde e rua fechada, pega-pega. Desfile era churrasco e matinê é que era festa.

Tenho de te me conformar com os “novos tempos”. Carnaval agora é longe daqui, como dizem a maioria. Já se foi a Folia de Reis e o Galo da Madrugada viu o sol nascer. Os bonecos de Olinda foram guardados, acenderam as luzes do salão, mas Arlequins e Colombinas vão se ver no ano que vem.
Penso nisso tudo enquanto tiro de mim o cheiro do Carnaval e tento fazer com que o único (e último) confete vá pelo ralo.

Vou dormir e lembro: ainda é Carnaval em Salvador.

3 comentários:

Mirela Leme disse...

cada um com a sua história de carnaval...

a sua para variar, ótima!

Maísa disse...

meu, que nostalgico... :/ to na bad até

raphael disse...

nós todos somos as cizas da quarta feira, e é só isso q vai ficar até que chegue outro carnaval