24.4.10

Um de nós

Ele

- Eu não aguento mais. Preciso de ajuda. Será que alguém em sã consciencia é capaz de sentir o que
estou sentindo? Alguém já passou por isso? Isso o que? - me perguntaram. E sem pensar com os olhos fixos
ao chão eu respondi: Isso que acabou.
Acabou! Pra um do nós nada mais faz sentido. Não preciso dizer que não foi o meu eu. Ainda que destruído.
Prefiro a morte, me enterre de vez, misture um veneno e me deixe que morra no pé desta mesa. Seria bem
melhor assim. Mas espere. Não deixe que tal notícia a aborreça. Jamais suportei vê-la chorar. Se ainda
há algum carinho, não quero saber de respeito, se ainda há algum carinho por mim eu sei que ela vai chorar.
E por isso ontem, arrependido, chorei ao pensar no que passaria pela cabeça dela ao saber que foram sete.
Três garrafas e cinco garotas. Pra que, eu me pergunto. Cinco e nenhuma aos seus pés.
"Nojo" e me mandaria embora pela segunda vez.
Três garrafas e eu só consigo lembrar da besteira que eu fiz a mim mesmo. Ela tem razão. Sinto nojo de mim.
Enquanto o dia termina para mim ela deve estar fazendo pose pela casa, caçando coisas pelo chão. Rindo,
pronta para acalmar qualquer outro coração.
Permaneço calado.

Ela

- Não dava mais.
Eu não seria capaz de enganar aqueles olhos outra vez.
Ele me ama, fala em casamento, filhos, viagens. Eu só estou esperando pela Copa e ele me fazendo juras
eternas "pra mulher da sua vida". Eu não estou preparada. Ele precisa entender. Vai sofrer. Ainda que
aqueles olhos lacrimejantes sejam um charme e aquele nariz avermelhado me tire do sério, eu não posso fazer
isso comigo. Eu não posso fazer isso com ele. Ele me ama! Aonde já se viu ele me amar dessa maneira, o que
foi que eu fiz? Às vezes me sinto culpada. Mas que culpa tenho eu dele me amar? Ele me ama e sei lá se eu
estou só passando o tempo. Eu gosto dele, mas não o suficiente. Eu quero, é o homem que qualquer uma de nós
não entregaria ao mundo de bandeja. O homem dos sonhos e eu só quero ser livre. Não é a hora e não é para o
amanhã.
Ele me ama e talvez isso atrapalhe.
Ele é cego e não vê o outro lado.
Afogada, é preciso remar.
Lá na frente olhei para o lado e não o vi.
No bote salva vidas havia apenas um de nós.
Me salvei.
Vai passar.

2 comentários:

raissa.fnunes disse...

Incrível como as palavras podem fazer sentido quando alguém as sabe colocar.

Heloisa Helena disse...

todos podem amar e serem livres ao mesmo tempo... o amor prende e ao mesmo tempo liberta !