11.3.09

quando chove

Eu gosto quando chove.
Quando pequena não gostava dos trovões, hoje os aceito melhor.
Daqui da janela dá pra ouvir os carros passando no chão molhado e já nem preciso forçar a imaginação pra ver que os respingos deixados pelos pneus vão molhar quem vier logo atrás.
Às vezes, daqui da janela, também dá pra ouvir os pingos mais fortes e o vento que chega a balançar. Dormindo, eu já tive muito medo.

Hoje, pra entrar de uma vez nessa viagem molhada ligo o som. Quase sempre funciona.
E cada dia que chove vou pra um lugar diferente.
Há pouco estava na estrada, num dia frio, com vidros embaçados e ninguém por perto. O caminho eu conhecia bem, só não sei dizer porque é que eu fui parar por lá outra vez. Por ora ninguém me conhece por aquelas bandas, não sobrou um sequer pra contar a história, como dizem por aí. O engraçado é que eu consegui de fato visualizar algumas pessoas. Os lugares por onde passei. Consegui lembrar como tudo ficava quando chovia por lá também. Algo me diz que eu voltei só pra ter a certeza de como era bom e de como poderia ter sido melhor.
Quem sabe numa outra viagem, uma nova capa de chuva, um outro dia frio ou quando chover novamente.
Eu gosto quando chove.

Um comentário:

Débora disse...

Oi, eu vim te visitar amore!! hehe

Primeiro, adorei o calendário humano, pensei em fazer um blog só pra copiar.hahahah mentira

Segundo, eu adoro chuva...dizem que lava a alma...mas num sei, nunca pensei que a minha fosse suja.